Acessórios fazem toda diferença

Os acessórios podem fazer toda a diferença no visual, são importantissimos e tem que ornar com o contexto. Dêem a eles a mesma importância que dão ao tão sonhado e idealizado vestido de noiva.

Sempre quis usar testeira no dia do meu casamento. Mas vocês não imaginam como foi difícil encontrar uma que me agradasse.

Na verdade não a encontrei pronta. Conversei com a designer de jóias Bibiana Paranhos que a criou. Queria que o formato da testeira valorizase o meu rosto e coincidentemente, acabou acompanhado o decote do vestido.

Minha intenção era chamar a atenção para o meu rosto, por isso, pedi que a peça fosse toda cravejada com brilhantes. Já os brincos optei por simples pontos de luz para não brigar com a testeira.

ESTILO Tata

Bom Senhoritas… nesta semana especial de moda Noivas Plus Size aqui no blog, resolvi compartilhar com vocês um pouquinho do meu casamento, um dia tão especial na minha vida.

Foram meses pesquisando vestidos de noiva, até chegar ao desenho que eu queria. Fiz a pesquisa pela Internet e quando fui comprá-lo, já sabia exatamente o modelo.

Escolhi um vestido com corte princesa, acinturado, com o corpo liso em cetim. Menos é mais. Para não carregar o visual não utilizei colar, a minha intenção era chamar a atenção para o meu rosto.

Para valorizar o busto e alongar a silhueta, optei pelo elegante decote coração, bordado. Nas costas o decote era em  V.

Dificilmente me sinto a vontade com os braços a mostra e neste dia de tanta exposição, preferi cobrí-los com uma manga de renda delicada para não pesar o visual.

O véu era longo, comprido, liso e com arremate de cetim bem fininho que criava uma linha na vertical ao longo do corpo.

Espero que gostem!!!

Créditos

Vestido – Não indico o local aonde fiz o vestido, tive vários problemas e para ser sincera não considerei o resultado final como alta costura. / Sapato – Durval / Fotógrafo – Evandro Rocha

Obs. Recentemente acompahei uma amiga em sua prova de vestido de noiva na Solaine Piccoli. Se fosse casar hoje, com toda certeza, faria o meu vestido com ela. Os vestidos são lindíssimos!!!

O vestido ideal para noivas plus size

Há modelos para todos os tipos de curvas. O segredo é saber valorizar e disfarçar, na medida certa, algumas partes do corpo

Por Giovanna Tavares

Mulheres com uma silhueta fora dos padrões das passarelas não precisam recorrer a dietas malucas de última hora, nem se desesperar pelo vestido de noiva “perfeito”, mas três números menor. Basta escolher modelos capazes de disfarçar traços indesejados e reforçar os pontos fortes.

Para a estilista Penha Maia, um belo vestido de noiva plus size se baseia em três características: cintura marcada, silhueta longilínea e decote valorizado. Confira outras características que valorizam as noivas plus size — e anote também o que não fazer.

Fica bem: corte princesa e saia evasê
Para a estilista Emannuelle Junqueira, as noivas plus size devem priorizar modelagens que alonguem a silhueta e tecidos leves. “Sou a favor de esconder a estrutura e dar leveza ao visual”, ressalta. “Um corte que valoriza o corpo desta noiva é o princesa, porque equilibra os ombros e o quadril, regiões que chamam atenção”, acrescenta a estilista Solaine Piccoli.

Não fica bem: vestidos apertados ou largos demais
O corte sereia clássico dá mais volume ao corpo, segundo a estilista Estela Noyama, e não é indicado para mulheres plus size. Modelos marcados e apertados demais podem se tornar um incômodo para a noiva e atrair a atenção para os lugares errados.

O corte império, mais solto no corpo, tampouco é indicado. “Ele dá a impressão de um corpo maior, já que o busto fica muito marcado e a parte de baixo com volume”, reforça Penha Maia. O vestido deve estar confortável e na modelagem correta, sem faltar ou sobrar tecido.

Invista: decotes variados
Valorizar o busto é uma opção para as noivas, mas com bom senso. “Não pode ser um decote profundo demais, deve ficar delicado”, afirma Penha Maia. O decote coração deixa o vestido mais elegante e destaca a região na medida certa.

Para não carregar o visual, a noiva deve usar acessórios com certo cuidado e evitar colares grandes, para o corpo não parecer maior e mais volumoso. “Quanto mais clean estiver o colo, mais alongada essa mulher vai parecer”, observa Solaine Piccoli.

“Essa noiva precisa se gostar e deve aprender a valorizar os seus pontos fortes”, observa Emanuelle Junqueira. Além de seguir as dicas, as mulheres plus size devem ter em mente um vestido que traduza a sua personalidade, tornando-se uma peça realmente única, como cada mulher é. Confira alguns modelos para acertar na escolha do vestido e não brigar com o seu corpo.

Carla Manso De Frente com Gabi

Amo de paixão as entrevistas da Marilia Gabriela. Ela não faz perguntas obvias, o que na maioria das vezes, tira os entrevistados da zona de conforto. As repostas, por sua vez, são inéditas, o que proporciona ao telespectador novas informações. Ahhh… e a Gabi, tem o sexto sentido aguçado como poucos, e aí de quem tenta enrolá-la.

Estou curiosa para saber como foi a entrevista com a querida e lindíssima Carla Manso, sobre o universo plus size. O programa vai ao ar hoje, quarta-feira (11), às 0h30.

No bate papo os seguintes pontos foram abordados:

- Necessidade das grifes plus size valorizarem mais as modelos e pagar o que elas realmente merecem;

- Críticas a quem faz catálogo em troca de roupa ou cachê muito baixo;

- Motivos que a levaram fazer o nu artístico;

- Carla contou como adquiriu a baixa autoestima durante a sua infância;

- Falou dos “garotos” que pegam gordinhas às escondidas;

- Seu sonho: casar e ter mais filhos;

- Esperança de um dia realizar trabalhos fora do Brasil.

Por que temos medo das diferenças?

Por Tata Quintieri

Vivemos numa sociedade que corre atrás da individualidade constantemente, buscando a diferenciação, por meio de objetos de luxo, peças únicas, entre outros.

Mas as diferenças reais nos assustam, temos medo de tudo que é realmente diferente de nós e nos afastamos acreditando que dessa forma, a diferença que por algum motivo nos assusta, não nos atingirá.

Quando falo em diferença, ou melhor, diversidade, falo de nós todos, pois, sim, todos somos diferentes e fazemos parte da diversidade humana!!!

Perdemos muito com este comportamento medroso. A riqueza e grandeza de uma sociedade esta na sua diversidade, deixamos de aprender quando nos afastamos de tudo que é diferente de nós.

Do meu ponto de vista este medo vem do fato de não sabermos como é viver as diferenças…

SOMOS SINGULAR!!!

 “Sem diversidade não há vida, novas possibilidades e nem criação. A homogeneidade é morte, é impossibilidade, é o fim da vida.”

Frase do meu querido amigo, Reinaldo Bulgarelli

Saia Lápis – Adote a Idéia

ELA É A PEÇA CHAVE DA NOVA ELEGÂNCIA CASUAL.

Invista na peça

Como os anos 1940 voltaram às passarelas, agora cabe a saia lápis conectar o closet com o que há de mais novo. Pense nas mais variadas texturas: cetim, couro, denim. Mesclada a camisas e jaquetas, ela propõe em equilibrio bem dosado entre elegância e casualidade.

Como Usar

Com uma saia de material arrojado, como o jacquard, o look com blazer e camisa ganha um ar atual. Jaqueta esportiva, de náilon e barra sanfonada, faz uma boa parceria. Para compor um dos looks mais antenados da estação, combine com top de seda e blazer sem forro.

Vale a pena vestir essa idéia ou não?

Fonte – Revista Eltilo, Março, 2012 / Adaptado por Tata Quintieri

Imagens – Cléo Fernandes / Fluvia Lacerda Preta Gil / Tanesha Awasthi

Padrão de Beleza

Por Nilton Lee

Padrão de beleza. Qual é o seu? Na verdade não há padrão de beleza que suspenda ou aniquile a beleza real do ser humano, por mais “fora do padrão” que ele se encontre. Simplesmente porque o padrão não consegue ditar e fechar as portas diante do que enxergamos além dos olhos, e sabemos que o belo é o que nos fala a alma, tem mais profundidade, é mais extenso, denso e às vezes, até inexplicável.

Quem criou o tal padrão de beleza? A mídia? A moda? Ambas? A verdade é que a moda, esse consumo de objetos ou mesmo de ideias, se forma mais classicamente na perseguição obstinada da sociedade pelo padrão de beleza em vigor. Em vigor? Sim. Isso mesmo.

Porque esse padrão é mutante, efêmero e questionável. A moda dispensa qualquer lógica, transcende o caráter utilitário de uma peça de vestimenta ou adorno.  Um dos fenômenos mais emblemáticos da pós-modernidade, ela é a identidade e a identificação do sujeito perante a sociedade em que se insere.

Até os idos dos anos 70, no Nordeste, onde vivi minha infância, a cultura local dizia que a pessoa gordinha era sinônimo de prosperidade, além da clássica beleza estética, associava-se à sua imagem a figura de alguém que estava prosperando na vida. Era comum ouvirmos a expressão: “está bom e gordo?”, nos cumprimentos corriqueiros de rua entre amigos que se e encontravam. Era uma forma elementar de cumprimento.

“Tá ficando mais gordo, cada vez mais rico” – outra expressão, dava a entender que uma coisa estava sempre ligada à outra, naquela cultura que hoje não mais existe por conta do que nos impõem a moda e a mídia.

Na verdade é que nas pequenas cidades do interior nordestino, a televisão só veio a ser instalada de forma a atingir todo o território nacional da maneira que ora presenciamos, nos meados dos anos 80. Com o advento da televisão, as culturas locais, tribais começaram a sofrer influência, e os padrões de beleza foram modificando de forma rápida, e seguindo a imposição da mídia, bem como da moda externa ao seu conhecimento até então.

Kathia Castilho e Marcelo Martins, na sua obra “Discursos da moda, semiótica, design e corpo”.Colocam a seguinte  consideração:

“As mídias especializaram-se cada vez mais em construir mundos perfeitos, possíveis, desejáveis, prováveis, e tanto outros nos quais se espelham os sujeitos e seus destinatários. Todas essas criações estão pautadas em estratégias narrativas, discursivas e mesmo nas de textualização que geram tais efeitos de sentido de construções de mundo, aos quais subjaz, sempre, a de ilusão de que determinado produto, publicizado pelas mídias, é absolutamente necessário, desejável, querido, fundamental, imprescindível para seus possíveis consumidores.”

Queremos seguir o padrão. Queremos ter o padrão da beleza. Mas não seria melhor seguirmos o padrão da felicidade? O sofrimento das pessoas ante o preconceito imposto pelos seguidores da estética perfeita, ante mesmo suas dificuldades em manter-se no padrão de magreza que a “roda” cobra. Será se não é um sofrimento em vão?. Quão efêmera é a moda, quão fulgás é o conceitual. 

Lembro bem que há alguns anos, o padrão de beleza repousava nas mulheres de grandes bumbuns e pequenos seios, pois bem, nisso lembro também que acompanhei o caso de mulheres de seios fartos que queriam se livrar deles, torná-los menores, como mandava a regra da moda. Para isso, e para justificar cirurgias de redução, algumas inventavam até mesmo problemas na coluna. “Ah, sinto muitas dores, porque meus peitos são muito pesados”, diziam.  O novo padrão é o de seios grandes. Sabe aquela dor de coluna? Sumiu. Que se danem as dores. Seios grandes estão na moda, é o que diz a mídia. Redução que nada. Silicone neles!

Efêmera, cruel, mas seguida, consumida, adquirida. Assim é a moda, na perseguição implacável ao padrão de beleza. A felicidade, porém, pode habitar em outros valores. Em você aceitar-se, curtir-se, respeitar-se e se fazer respeitada, amada e poderosa tal qual você é. Ninguém, afinal, vive a vida sobre uma passarela, desfilando roupas de griffe. A vida é mais que isso!

Acessórios, complementos de moda

Por Tata Quintieri

Tive a oportunidade de assistir uma excelente palestra sobre acessórios, no Senac Moda Informação, da Beth Salles, designer de acessórios, que está há 19 anos no mercado. Beth vai direto ao ponto e não tem medo de compartilhar seus conhecimentos, fiquei encantada e espero em breve poder conhecer suas criações. E agora, chegou a minha vez de compartilhar meu aprendizado com as Senhoritas…

Quando pensamos em um look, podemos considerar a seguinte equação:

ACESSÓRIO = ALIADO

São complementos que dão vida ao look e têm que estar em harmonia com o todo.

Dicas

- Após montar um look, feche e abra o olho, se algo gritar, troque aquilo

- Elega um acessório como protagonista e pense o look em função dele

Preview Outono – Inverno 2012

TOP TENDÊNCIAS

Por Isabela Hernandes - Consultora e Produtora de Moda

A estação mais fria do ano está chegando. E você, já sabe o que vai usar nesse Inverno?

Separei um top tendências para as Senhoritas que amam estar na Moda.

Must Have

O vestido será a peça-chave do Inverno 2012 pois une conforto, praticidade e feminilidade. Ele aparece nos mais diversos formatos e será o charme para a próxima estação.

Quem vai fazer?  Tufi Duek, Alexandre Herchcovitch, Huis Clos entre outros.

Shape Balanceado

O equilíbrio de proporções ditadas por Yves Saint Laurent na década de 1970, volta com tudo neste inverno. A silhueta da temporada terá o contraponto de duas modelagens: As ajustadas como: Calça Skinny e Saia Lápis, e as Amplas como: Coats – casulo e Pulls.

“Vestidos justo + casaco amplo formam o look da estação” diz Alexandre Herchcovitch.

Alto – Relevo

O print do inverno 2012 é mais tátil do que visual. Várias marcas investem na textura ou em estampas de efeitos gráficos que sugerem relevos tridimensionais.

Quem vai fazer? Tufi Duek – investe no grafismo, Colcci – estampas texturizadas, Mario Queiroz – revelará uma profundidade 3D.

Quentinha

Nos últimos desfiles de inverno do circuito New York – Milão – Londres – Paris, a lã vem com força total. 

Quem vai fazer? Cantão, Huis Clos, Alexandre Herchcovitch apostam na lã com fios de ouro. Chiquérrimo não é mesmo?

Animal Print

Assim como o inverno 2011, o de 2012, continua com as estampas de animais.

Nas coleções Inverno 2012 podemos ver uma vasta opção de estampas como: onça, zebra, tigre, girafa… E até mesmo as adaptações delas em diversas cores, trazendo maturidade, sensualidade e feminilidade as mulheres. 

Rock in Roll

  • Couro

O couro que por um bom tempo não nós visitava, agora promete ser uns dos HITS da estação.

Vamos encontrá-lo em jaquetas, blazers, casacos, vestidos… Com uma releitura ele vem em diversas cores como: Vermelho, Amarelo, Coral, Marrom e tons terrosos trazendo um toque de modernidade e sofisticação as peças.

  • Metálico e Brilho

Podemos apostar e muito nessa tendência.

Assim como os tecidos metalizados os tecidos brilhosos também serão um dos queridinhos dos closets femininos.

Trazendo jovialidade, ousadia e um toque de agressividade o metalizado será visto desde blusas até makes.

Com certeza é uma tendência para quem tem atitude e estilo.

Já o brilho aparece em batas, vestidos e saias. Serão usados paetês brilhantes e os foscos. O dourado também vem com tudo.

Uma coleção para quem ama ser elegante e moderna.

Romantismo

A renda que virou a grande aliada das mulheres românticas nesse Verão continua com força total na próxima estação.

Ela permanece em tons mais escuros trazendo um ar mais ousado e sexy as peças.

Plissado

O Plissado que a muitos anos atrás era referencia de elegância também retorna para as vitrines. Será usado em saias e vestidos.

Essa tendência promete fazer a cabeça das mulheres.

E agora, em meio de tantas tendências, quais serão suas apostas?

Fica uma dica. Sempre que for comprar uma roupa, reflita se aquela peça conversa com seu guarda-roupa,  desta forma você conseguirá criar looks incríveis, sem perder seu estilo próprio.

Lembre-se, a Moda está a sua disposição para te auxiliar e não para te atrapalhar. A melhor tendência é aquela que realça seu estilo próprio.

Beijos de glamour Senhoritas – Isabela

Referências – Fluvia Lacerda / Jay Miranda / Juliana Romano / Preta Gil / Stéphanie Zwicky / Tanesha Awasthi / Tata Quintieri

Magreza Controlada

O mundo da moda, pelo visto, está começando a refletir sobre os danos causados a sociedade, em função do padrão de beleza utilizado. Parece, que resolveram tomar atitudes com a finalidade de mudar o cenário atual.

Eu concordo com os crítticos, o foco não deveria ser no peso das modelos e sim em sua saúde. E vocês Senhoritas, o que acham?

Por Mariana Inbar – Petiscos

Enquanto nos Estados Unidos a Model Alliance tenta regulamentar a profissão de modelo e proteger as meninas que estão entrando na profissão, Israel tenta combater a magreza excessiva tão explorada na moda e os danos que isso pode estar causando à juventude do país. Partindo do princípio de que dois por cento das garotas em Israel entre 14 e 18 anos sofrem de distúrbios alimentares severos, a nova lei aprovada no país bane o uso de modelos abaixo do peso em campanhas nacionais, assim como a acusação de uso de Photoshop para alterar o corpo de modelos em imagens divulgadas na mídia quando for o caso (algo que já existe nas campanhas de cosméticos em alguns países). “Queremos acabar de vez com a ilusão de que a modelo que vemos na mídia é real”, disse Liad Gil-Har, assistente da Dra. Rachel Adato, que liderou a lei. A partir de agora, o índice de massa corporal das modelos no país será controlado por exames médicos trimestais que devem ser apresentados a cada novo trabalho. A lei, porém, já tem críticos, que acham que o foco não deveria ser no peso das modelos e sim em sua saúde, já que algumas delas são naturalmente magras: “Force testes de verdade e obrigue essas meninas a visitarem seus médicos regularmente, tentando monitorar as meninas que são pegas vomitando”, declarou a modelo israelense Adi Neumann, completando que sempre foi saudável mas seu índice de massa corporal é inferior a 18.5 (o que, na teoria, caracteriza desnutrição).
Chega de ilusão.
Foto: Reprodução